was successfully added to your cart.

A pressão arterial elevada é um problema de saúde comum hoje em dia.  A hipertensão arterial não é necessariamente algo que você pode sentir, mas aumenta o risco de doenças graves, como derrames e ataques cardíacos.

A boa notícia é que você pode melhora-la por meio de mudanças simples de estilo de vida.

O tratamento usual para a pressão arterial elevada hoje é medicação. Mas e se você pudesse alcançar a pressão sanguínea perfeita sem pílulas ou efeitos colaterais – e, como bônus, usufruir de uma melhor saúde e de perda de peso?

Isso é perfeitamente possível.

Para isso, entenda neste Blogpost especial qual o mecanismo do nosso corpo associado a pressão arterial, as causas que levam a esse estado e como identificar o momento correto para abandonar o tratamento natural, de mudanças de estilo de vida, para um tratamento com medicamentos – que deve ser acompanhado de perto por um profissional da saúde.

O que é pressão arterial?

A pressão arterial é exatamente o que parece: a pressão nos vasos sanguíneos. Com uma quantidade normal de sangue, um coração saudável e vasos sanguíneos saudáveis ​​e elásticos, você terá valores normais.

A pressão sanguínea leve ou moderadamente elevada raramente dará sintomas óbvios (uma leve dor de cabeça pode ocorrer às vezes). Uma pressão arterial muito alta pode causar fortes dores de cabeça, fadiga e náusea. A hipertensão arterial é o resultado de uma maior quantidade de líquido e sal no sangue, e também das paredes dos vasos sanguíneos serem mais espessas e mais duras do que o normal.

Como a pressão alta muitas vezes passa despercebida, é comum que as pessoas vivam desavisadas por algum tempo. Como é um fator de risco, pode ser aconselhável verificar a cada poucos anos, mesmo se você estiver se sentindo saudável em geral. Esse conselho é especialmente direcionado para pessoas de meia-idade ou mais velhas, já que a pressão alta é mais comum com o avançar da idade.

Uma pressão sanguínea aumentada leva, a longo prazo, a um risco aumentado de doenças cardiovasculares como AVC e infarto. Quanto maior sua pressão arterial, maior o risco. A hipertensão arterial é  tratada clinicamente com remédios para reduzir os riscos para a saúde, no entanto, você também pode diminuir sua pressão arterial com mudanças no estilo de vida.

As leituras de pressão sanguínea consistem em dois números, por exemplo, 120/80.

  • O primeiro número é a pressão de pico (quando o coração se contrai, pressão sistólica). Esta é a maior pressão nos seus vasos sanguíneos.
  • O segundo número é a pressão mínima, tomada quando o coração relaxa (pressão “diastólica”).

SaúdeO que é uma pressão sanguínea “boa”?

Uma pressão sanguínea ideal e saudável é <120 mmHg sistólica (pico) e <80 mmHg diastólica (mínima). A maioria das pessoas no mundo ocidental, no entanto, tem uma pressão arterial maior do que isso.

A pressão arterial considerada elevada é de 120-129 mmHg sistólica e < 80mmHg diastólica. Uma pressão sanguínea elevada é comum em pessoas de meia-idade e idosos, especialmente naqueles com excesso de peso. As populações indígenas, que não comem uma dieta ocidental, tendem a ter uma pressão sanguínea excelente, mesmo na idade avançada.

Blogpost Relacionado: Porque um alto consumo de açúcares é tão danoso para o organismo?

Blogpost Relacionado: Carboidratos Processados Podem Causar Doenças Crônicas

O que é uma pressão alta?

Quase todos os adultos da terceira idade nos EUA têm pressão arterial elevada, de acordo com o CDC (Centros para Controle e Prevenção de Doenças) e o ASH (Sociedade Americana de Hipertensão).[1]

Durante anos, a hipertensão foi classificada como leitura da pressão arterial (PA) de 140/90 mm Hg ou maior, mas a diretriz atualizada classifica a hipertensão como uma leitura de PA de 130/80 mm Hg ou superior. [2]

A hipertensão estágio 1 é considerada a partir de valores 130-139 mmHg sistólica e entre 80-89 diastólica. E a hipertensão estágio 2 é considerada para valores maiores ou iguais 140 mmHg sistólica e maior ou igual a 90 diastólica. Ou seja, se uma pessoa tem a pressão 125/80 ela tem a pressão elevada. Se ela tem 130/82 ela já é hipertensa estágio 1. Caso a pressão esteja em 140/90, é hipertensa grau 2.

Causas da hipertensão arterial

Existem várias causas raras de pressão alta (como distúrbios renais ou adrenais). Se houver motivos para suspeitar que tais distúrbios são a causa da hipertensão, as medidas apropriadas devem ser decididas por profissionais médicos.

No entanto, o tipo mais comum de pressão arterial elevada é do tipo que não tem uma causa clara, a chamada hipertensão primária. Nestes casos, muitas vezes é parte do que é chamado de “síndrome metabólica”, também conhecida como a doença do mundo ocidental.

A boa notícia é: se você mesmo pode causar isso, você também pode melhorar os marcadores da síndrome metabólica (glicemia, HDL, circunferência abdominal, pressão arterial e triglicérides) com uma simples mudança de estilo de vida.

A causa comum

A síndrome metabólica é tipicamente causada pela ingestão de mais carboidratos do que o corpo pode suportar. Isso é verdade principalmente para carboidratos de alto índice glicêmico (IG) que são rapidamente digeridos, como farinha branca e açúcar puro. Dependendo de como você é sensível, você pode estar experimentando os mesmos sintomas de carboidratos de IG mais complexos.

O carboidrato começa a ser decomposto em açúcares simples assim que chega ao estômago (por exemplo, o amido no pão e a massa se transforma em glicose), que aumenta o açúcar no sangue no momento em que é absorvido pela corrente sanguínea. O corpo então produz mais do hormônio insulina , a fim de cuidar desse açúcar no sangue.

A insulina é o principal hormônio de armazenamento de gordura no corpo, e a insulina em excesso pode, portanto, levar ao excesso de peso a longo prazo. Em grandes quantidades, isso também pode perturbar o metabolismo do colesterol em seu corpo. Além disso, também pode afetar sua pressão arterial.

Blogpost Relacionado: Café da Manhã saudável: 7 superalimentos para o desjejum ideal

Insulina alta e pressão alta

Níveis elevados de insulina parecem levar ao acúmulo de líquido e sal no corpo. Isso aumenta a pressão sanguínea. Além disso, níveis elevados de insulina podem engrossar o tecido ao redor dos vasos sanguíneos (o chamado músculo liso), o que também pode contribuir para uma pressão sanguínea elevada.

Comer menos carboidratos tem sido estimulado, afim de diminuir os níveis de insulina e também a pressão arterial . Talvez isso ocorra porque uma dieta pobre em carboidratos também tende a desencorajar o corpo a acumular fluidos e aumenta a eliminação de sal pela urina.

Fadiga Muscular

Quando a hipertensão deve ser medicada?

Se a pressão estiver apenas elevada. A recomendação é mudança de estilo de vida (perda de peso, exercícios físicos regulares, dieta saudável, meditação) com reavaliação em 3-6 meses. Nesse cenário, o SuperCoffee pode ser um ótimo aliado para aumentar a disposição e energia nos treinos como para otimizar a perda de peso e, consequentemente, melhorar os níveis pressóricos. Mas o consumo de cafeína deve ser feito com moderação, visto que esta substância tem a capacidade de elevar os níveis pressóricos, mesmo que momentaneamente.
Se o caso for de hipertensão estágio 1, a depender do risco cardiovascular do paciente, a mudança de estilo de vida deve continuar sendo estimulada e o médico pode receitar da medicação alopática (geralmente uma), com acompanhamento ambulatorial mantido até obter um melhor controle da PA.

Caso hipertensão estágio 2, mais de um medicamento anti-hipertensivo pode ser receitado pelo seu médico e as mudanças de estilo de vida também devem ser mantidas. Mas o tratamento é individualizado e depende da avaliação médica e do risco cardiovascular daquele paciente – que depende de fatores como tabagismo, obesidade, diabetes mellitus, dislipidemia, idade, sexo, etc.

Um novo grande estudo[2] , mostrou que as pessoas com hipertensão viviam mais e reduziam o risco de doença cardíaca se baixassem a pressão arterial sistólica até 120, usando medicamentos. Infelizmente, esse benefício vem com um risco significativamente maior de efeitos colaterais.

Dito isso, menores elevações na pressão arterial podem e devem sugerir mudanças no estilo de vida, a fim de melhorar a saúde e diminuir o risco de doenças. No entanto, as medicações são úteis e podem ser bem indicadas caso os níveis pressóricos não sejam controlados apenas com tais mudanças, em casos como o da hipertensão nível 1 e da hipertensão nível 2.

Referências:

  1. https://www.cdc.gov/bloodpressure/facts.htm
  2. http://professional.heart.org/idc/groups/ahamah-public/@wcm/@sop/@smd/documents/downloadable/ucm_497446.pdf
  3. https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1511939?query=featured_home#t=articleTop
  4. https://pt.scribd.com/document/4895150/Review-of-low-carb-vs-high-carb-diets
  5. https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/415539
  6. https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD009217/abstract
  7. https://www.cambridge.org/core/journals/british-journal-of-nutrition/article/omega3-fatty-acids-and-blood-pressure/C5B80492D2B8028AD8F95FFAAF5F44DF
Társila Machado

Author Társila Machado

Amante da vida em equilíbrio e movida por um desejo irrefreável de despertar a alta performance no maior número possível de pessoas. Com base em pesquisas e estudo contínuo, acredita que a integração entre corpo, mente e espírito é a chave mestre para alcançar maiores níveis de evolução pessoal, saúde e sucesso nas diversas áreas da vida.

More posts by Társila Machado

Leave a Reply